Remobiliando Caixas de Feira

Remobiliando Caixas de Feira

Todo final de feira é sempre igual, sempre ficam umas caixas pra traz. Quer saber o que dava pra fazer com essas caixas, e mudar um pouco a cara da nossa casa?

Pois bem, numa garimpada pela net achei diversos acessórios pra decoração feitas com essas caixinhas batidas mas também charmosas, e olha que não achei só  aquelas decorações estilo “artes-manuais” que a gente vê por ai não.

De ambientes mais simples a coleções de design como a Linha José do arquiteto Maurício Arruda, utilizar os caixotes de feira rústicos, decorados ou até os redesenhados  pode levar a decoração de interiores para um lado mais retrô-urbano que valoriza qualquer espaço, isso vai da sua disposição e ousadia para jogar com esses elementos.

Em breve teremos na Loja Remobília idéias exclusivas de decoração com caixas de feira, pra você que curte a idéias mas prefere comprar pronto, porque é paulista e não tem tempo pra nada.

Anglepoise Lamp

O modelo da luminária Anglepoise foi desenhada em 1932 pelo designer britânico George Carwardine, e se tornou inspirarão para outros designers da mesma época como Jacob Jacobsen que desenvolveu a L1 Luxo em 1937, embora muito parecidas, foi  Jacobsen quem se destacou no desenvolvimento de luminárias de mesa ajustáveis e portáteis, ao aplicar à peça um conceito único, capaz de equilibrar seu mecanismo de sustentação.

Com braço controlado por molas e aparência distinta da antiga inspiração, a luminária foi renovada, ganhando um perfil moderno com alta qualidade de iluminação.

Atualmente está entre as 100 melhores produtos já criados, recebendo diferentes versões com o passar do tempo e inspirando diferentes públicos de diferentes maneiras.

Como a Pixar que a utilizou como elementos principal para seu primeiro filme o curta metragem Luxo Jr. que eu assisti no cinema na abertura de Toy Story 2 e me apaixonei.

Desde de então a luminária  passou a integrar o nome da empresa e aparecer em todas suas aberturas.

E é incrível a versatilidade e carisma que tem essa peça.

Abertura Wall-E

E a gente o Remobília não podia ficar sem uma Anglepoise linda para oferecer aqueles que amam essa peça tanto quanto a gente.

Remobiliando Latas

Desde pequenos vivemos com os enlatados, não consigo imaginar quantas latas de Nescau já  esvaziei na minha vida, com certeza já cheguei aos centenas, sem falar da falta que eu sinto das latas de Mucilon e Farinha Láctea, ai que saudade!

Elas foram desenvolvidas para resolver o problema do armazenamento de comida durante a guerra, a mesma história se repete para outros tantos produtos que hoje utilizamos, assim como esses, as latas se tornaram ícones de uma época e hoje voltam como artifício para o design de interiores com uma pitada urbanista meio retrô.

Já que aqui nós vamos falar de remobiliar tais elementos iconicos,  encolhi as latas pra serem o tema deste primeiro post da série Remobiliando. Veja quanta coisa bacana pode ser feita se a gente fosse um pouco mais sustentável e menos preguiçoso.


O Mundo Alternativo dos Steampunk

Cinéfilo que é cinéfilo sabe do que eu estou falando, engrenagens, madeira e vapor combinados ao estilo nouveau-vintage compõe o gênero Steampunk.

Que transcende os livros e as salas de cinema, e se transforma em fenômeno cultural,  com comunidades, convenções e festivais, assim como a ficção científica, nos animes e tantos outros gêneros.

Mas o que é afinal Steampunk? Como definição do wikipédia “O gênero steampunk pode ser explicado de maneira muito simples, comparando-o a literatura que lhe deu origem.

Baseado num universo de ficção cientifica criado por autores consagrados como Júlio Verne no fim do século XIX, ele mostra uma realidade espaço-temporal na qual a tecnologia mecânica a vapor teria evoluído até níveis impossíveis (ou pelo menos improváveis), com automóveis, aviões e até mesmo robôs movidos a vapor já naquela época.”

E eu sou maluca por isso, adoro os filmes com essa referências como De volta por Futuro III, A Liga Estraordiária, Hell Boy  e o novo Sherlock Holmes do Guy Ritchie.

E todo mundo sabe que se tem demanda se faz o produto, e o que tem de coisa steampunk no mercado me surpreendeu, acabei descobrindo até o Conselho Steampunk de São Paulo, pode apostar que vou estar presente no  próximo Piquenique Vitoriano no Masp.

E aí, vamos colocar nossos espartilhos e cartolas e nos encontrar por lá?