Paranapiacaba e a Hospedaria Os Memorialistas

De vez em quando me bate uma vontade de sair da rotina, arrumar as malas e viajar. Daí que a vantagem de se trabalhar em casa aparece. Como eu posso criar os meus próprios horários, bastando ter internet para que eu possa fazer as postagens onde quer que esteja, uma escapada rápida torna-se muito mais possível.

Na semana passada eu estava desse jeito, louca pra sair da frente do computador e ir para outro lugar. Fui então pesquisar para onde nós poderíamos ir, aqui mesmo dentro de São Paulo, já que a ideia era não gastar muito e aproveitar os últimos dias de férias do Vinicius.

Em uma busca rápida na internet, você vai descobrir que existem vários lugares super bacanas para se conhecer pertinho de São Paulo. Embu Das Artes, Campos do Jordão e Paranapiacaba são só alguns lugares que eu já visitei e sempre tive vontade de voltar.

O único deles em que eu só fiz uma visita rápida e nunca me hospedei foi Paranapiacaba, juntei então a minha vontade de sair de casa, com o fato da cidade ficar pertinho aqui do condado, e corri atrás de um lugar charmosinho pra gente passar alguns dias por lá.

Nessa pesquisa eu encontrei a Hospedaria os Memorialistas e já de cara rolou um amor lindo pelo lugar. Sobretudo pelo restaurante comandado pela dona Zélia que já me cativou só com as fotos.

Sabia que era esse o lugar que eu estava procurando e na quinta-feira passada fizemos as malas e partimos para Paranapiacaba.

Nossa ideia na cidade era de não fazer absolutamente nada, sem visita histórica, sem trilha das cachoeiras, nada disso, a meta era não ter meta e curtir toda aquela tranquilidade sem nenhum compromisso. E como foi bom!

paranapiacabaparanapiacaba-com-neblina

A história da cidade é incrível, mas eu não vou contar nada por que seria spoiler, você tem que ir lá pra viver essa história, sério!

Mas o melhor de Paranapiacaba, pra mim, não é mais a cidade histórica, desculpa aí. O melhor de estar ali é poder ficar na hospedaria, e este vai ser o jabá mais absurdamente honesto que eu já fiz na minha vida.

O lugar é mega charmoso, você se sente em casa, sem estar em casa, a comida da dona Zélia é uma loucura, o Pedro é super atencioso, e no final da viajem você simplesmente não quer mais voltar pra sua casa.

Mas quem quer voltar, quando se tem esse cantinho pra ficar?!

hospedaria-os-memorialistas

Quando for se hospedar, garanta que poderá fazer todas as refeições lá mesmo, principalmente se for fazer uma visita durante a semana, onde tudo fica fechado. Como sugestão peça a abobrinha apimentada de entrada, você não vai se arrepender!

Nem preciso dizer quem mais se divertiu nessa viajem, certo? Nunca vi o meu pequeno tão feliz e curioso para explorar todos os cantos da cidade e sobretudo testar os colchões do quarto.

quarto-hospedaria-os-memorialistas

Saímos de Paranapiacaba, com uma vontade louca de voltar e de espalhar o amor que sentimos. Quero juntar todos os meus amigos e ir pra lá comemorar qualquer coisa o mais rápido possível.

Você pode ver mais fotos da cidade de todas as gostosuras da dona Zélia lá no Instagram do Remobília!

selo-publieditorial-2

perfil_patricia

O Charme dos Anos 50

Vivendo um periodo pós guerra de grande mudanças culturais, geradas principalmente pela industria, há nos anos 50 um crescente desejo de consumo de bens, e para atender tamanha demanda de objetos, mobiliário, tv e eletrodomésticos, o design dos mesmos sofreu mudanças significativas que propiciaram sua produção em grande escala.

Abandonando-se as linhas rebuscadas e esculpidas dos artesãos e adotando-se linhas retas mais simplistas, funcionais e modernas e utilizando-se de materiais mais econômicos, esse novo design facilitava a reprodução sem a necessidade de mão de obra especializada.

Embora ainda conservadora no seu inicio, já havia nesses objetos sinais da influência  rock ´n roll que estava por vir, assim o vinil e os cromados foram ganhando espaço e anunciando a chegada dos anos 60.

Referências: Retrowow BBC Home